Arquivo da tag: viagem

FAZ CARA DE PAISAGEM, QUE VAI DAR CERTO

Paisagem 2            Verdade seja dita: tá pra nascer o dia em que uma viagem minha vai acontecer sem que passemos por fortes emoções. Obviamente que a mais recente não poderia ter sido diferente.

Bom, antes de contar o episódio, é importante fazer um prelúdio, relatando um fato anterior, mais pra frente vocês entenderão o porquê.

Numa das vezes em que fomos ao Maranhão, para o casamento de um primo e uma prima, houve a maior confusão no check-in, pois, ao chegarmos ao balcão (eu, minha esposa e os dois pequenos), o atendente solicitou as certidões de nascimento. Prontamente entregamos cópias, autenticadas e devidamente emplastificadas, o que todo mundo sabe que tem, para nós, validade indiscutível.

Pois bem, o distinto senhor, acho que por ter tido que acordar muito cedo para estar ali, já que o voo era em tarifa promocional e naqueles horários do bacurau, bateu o pé e disse que não embarcaríamos, já que, para ele, contrariando o senso comum, as xerox de nada valiam, ele queria mesmo eram as originais. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Crônicas do GUS

Alguém segure esse avião

É como eu costumo dizer: se as coisas fossem fáceis em minha vida, não teria a menor graça, por outro lado, eu também não teria tanto assunto para escrever. Pois bem, dessa vez caso foi o casamento do meu primo, aquele que só toma Guaraná Antarctica.

Se o fato de ser meu primo casando não fosse suficiente, a doravante esposa também é minha prima (e dele, diga-se de passagem), além disso convidaram a minha filha para ser dama de honra, e a mim e a minha esposa para sermos padrinhos. Como vocês podem ver, não havia a menor chance de eu arrumar uma desculpa que colasse para não ir, já que o casamento seria em São Luiz do Maranhão, distante 1573 km do Recife.

A viagem era um gasto totalmente imprevisto, mas seria uma chance ímpar de revermos os parentes que moram longe, de nos empanturrarmos de comer caranguejo, e de matarmos as saudades do Guaraná Jesus, que só tem por aquelas bandas. Compramos as passagens, reservamos hotel e decretamos moratória em algumas contas pendentes para podermos ter algum dinheiro e cobrir os gastos por lá. Continuar lendo

9 Comentários

Arquivado em Crônicas do GUS

Daqui praí

Foi bom enquanto durou, mas acabou-se o que era doce!

Como vocês que acompanham as crônicas sabem, estive recentemente no Brasil, de férias. A folga passou rápida como um raio e a programação, coordenada pelos meus dois filhos pequenos, foi super-intensa: zoológico, praia, shopping, parque de diversões e cinema (onde eu assisti de: Xuxa e o mistério da feiurinha até Sherlock Holmes, passando por Avatar e Astroboy).

No total foram vinte e seis dias, dos quais seis foram só viajando e vinte dias em casa.

Saindo do Timor, a primeira parada foi Bali e a empresa: Merpati – avião pequeno, entretanto a viagem estava só começando e, como era de se esperar, a excitação em voltar para casa, depois de oito longos meses, me fazia superar tudo, até mesmo o fato de não achar uma posição confortável para colocar as pernas, que insistiam em não caber no espaço entre uma fileira de poltronas e a outra. Ah, rolou almoço, com direito a sobremesa: uma espécie de pudinzinho em formato de flor, parece que estamos mordendo uma barra de sabonete mais macia.

Em Bali eu levei um chá de chão, meu voo só saía à noite e nem na parte interna do aeroporto eu podia esperar, tive de ficar do lado de fora, sentado no chão e vendo o tempo passar. Quando finalmente entrei, fiz o check-in e depois de passar por aqueles procedimentos de raio x e detectores de metal por duas vezes, uma ainda na entrada do aeroporto, enfim, partimos. Continuar lendo

7 Comentários

Arquivado em Crônicas do GUS

Na terra dos cangurus

Depois de um breve afastamento, aqui estou, novamente, enchendo vocês com as minhas vivências aqui do outro lado do mundo.

Aos que não sabem, estive, juntamente com o colega paulista (ou será paulistano? Nunca sei ao certo) curtindo uns dias de folga na Austrália – terra dos coalas e cangurus, ah, e dos crocodilos, ou vocês não sabiam que o “Crocodilo Dundee” é australiano? O passeio foi bem legal, muito embora eu tenha voltado um tanto frustrado pelo fato de não termos visto um mísero canguru (ou kanguroo…) de verdade. Achamos os de plástico, de pelúcia, estátuas, pinturas… mas o bichinho mesmo, em carne e osso, necas… se bem que a carne nós até vimos (e comemos, muito gostosa e macia, por sinal), a venda nos supermercados. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Crônicas do GUS

Aprendendo com ele

Liguei para casa e meu filho atendeu: “- Alô, pai!”, perguntei-lhe como sabia que era eu, já que, no telefone de casa, não temos identificador de chamadas, bem como, quando eu telefono do meu terminal aqui da ONU, aparecem tantos números estranhos que seria difícil associar a mim. Ele, com um ar superior, respondeu, básico: “- Eu sabia!”. Ah, tudo bem! Agora ele também é adivinho…

Se bem que eu não me surpreenderia, deixando um pouco de lado a modéstia, e como todo pai coruja, preciso dizer que ele é tão cheio de qualidades que eu não deixaria de acreditar que essa fosse mais uma. Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em Crônicas do GUS